Independência ou Dependência? Um novo vôo para o Acre: Um Projeto Político/Econômico para o Acre

Independência ou Dependência? Um novo vôo para o Acre:  Um Projeto Político/Econômico para o Acre
21/08/2017

Em seu livro (Memória) “Peixe na Água”,  Mario Vargas Llosa dar um testemunho de como o Peru veio se tornar um país liberal como é hoje. Nos anos 80, economistas jovens, dentre eles o filho do escritor, Álvaro Vargas Llosa, fizeram-se seguidores de Milton Friedman, Ludwig Von Mises e Friedrich Hayek. Introduziram as ideias desses notáveis economistas liberais no país.


O jovem economista Hernando de Soto – diz o prêmio nobel de literatura – um dos co-autores do livro “El otroSendero”, cujo prólogo foi escrito por ele (Llosa), demonstrou em pesquisa exaustiva, que a economia informal, construída à margem da lei, era uma resposta criativa dos pobres às barreiras do Estado intervencionista. Socialista.

Essa pesquisa para o livro, dirigida pelo jovem economista Hernando de Soto, foi fundamental para promoção das ideias liberais no país. Para realização da pesquisa De Soto, organizou em Lima, nos anos de 1979 e 1981, dois simpósios internacionais para os quais foram convidados os economistas Hayek, Friedman, Jean-François Revel e Hugh Thomas.


Conta-nos Vargas Llosa que em 28 de julho de 1987, assistia a televisão quando tomou conhecimento de um decreto de Alan Garcia que nacionalizava e estatizava todos os bancos, companhias seguradoras e financeiras do Peru. Contra esse ato de populismo socialista, escreveu um artigo em que dizia a Alan Garcia: “...Você insiste em ser nosso Salvador Allende, ou pior ainda, nosso Fidel Castro”, quando poderia ser o Felipe Gonzales.


Decorrente desse artigo contra a estatização promovida por Garcia, Vargas Lhosa subscreveu um manifesto, por ele mesmo lido na televisão, que veio a empolgar o povo peruano, resultando na sua candidatura à presidência da república, sob o pálio de um programa liberal, onde liderou as pesquisas até quase o final da eleição, vindo a perder para seu concorrente, Fujimori, político que se encontra atualmente por corrupção.


Em que pese Vargas Lhosa não ter ganho a presidência do Peru -  teríamos perdido o escritor - deixou plantada uma semente, que hoje dar frutos abundantes. O Peru é presidido pelo economista Pedro Pablo Kuczynski Godard, de centro direita e liberal, homem de profunda convicção católica – consagrou seu país ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria – liderando a nação  com muita habilidade. O Produto Interno Bruto (PIB) do Peru registrou crescimento de 4,42% no primeiro trimestre desse ano.


No Acre já vivemos sob um modelo socialista de governo há quase 20 (vinte) anos. Esse modelo não funciona nemaqui e nem alhures. Depois dessa tentativa de governo socialista, de quase uma vintena de anos, o legado é desanimador. Noventa mil pessoas desempregadas. Mais de duas mil empresas fechadas. Empresas estatais deficitárias e servindo de cabide de emprego. A principal rodovia do Estado (BR 364), praticamente destruída. Insegurança absoluta. Criminalidade crescente. A maior população carcerária do Brasil, proporcionalmente. Um Estado endividado. Falta de perspectivas para os jovens que saem das faculdades. Desânimo!


Que o socialismo não dar certo, já o dizia o economista liberal, prêmio nobel de literatura, F.A. Hayek, em “Os Erros Fatais do Socialismo”: “Assim, é impossível, com efeito, alcançar os objetivos e executar os programas socialistas; e também acontece eles são, como que de brinde, logicamente impossíveis. (...) “Seguir a moralidade socialista destruiria grande parte da humanidade presente e empobreceria o resto”.  


Insistir no que se sabe não dar certo é burrice! Miremo-nos no exemplo da Venezuela! O Acre tem o direito de ser feliz! Buscar novos caminhos!


O Instituto Liberal Acreano (ILAC) vê se concretizando um Acre do futuro (liberal), com entusiasmo. Começam a despontar, em âmbito estadual, líderes de diversas frentes de trabalho, como por exemplo no campo empresarial; Rodrigo Pires deve ajudar a conduzir isso (um projeto liberal)com maestria, pois, têm perfil conciliador, e não querem falar de cargos; mas de ideias.


Administrador de empresas pela Fundação Getúlio Vargas, empresário, cuja família está estabelecida no Acre há mais de 40 (quarenta) anos, dedicada à iniciativa privada, com experiência de intercâmbio no Vale do Silício (EUA), tendo sido premiado pela Presidência da República com o melhor projeto na Região Norte de combate a fome em 2012, fluência em inglês, agora, à testa de um partido liberal (PSL/LIVRES).


Em entrevista para esse artigo disse:


"Não caminharemos por enquanto com oposição nem situação, respeitamos ambos, mas acho que é dever dos jovens apresentar um novo projeto para o Acre.

Agora é hora de trabalhar novos líderes e é isso que eu e o Emerson Jarude estamos comprometidos a  fazer."


Viva o liberalismo!

Instituto Liberal Acreano - ILAC